ENFRENTAMENTO
À GRAVIDEZ

NA ADOLESCÊNCIA
INFORMAÇÃO É PREVENÇÃO!

 

Um projeto do Nosso Instituto que promove o acesso à informação qualificada em saúde sexual e reprodutiva com o intuito de prevenir:

Gestação Indesejada

Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs)

Exposição a situações
de violência na adolescência

O projeto ENFRENTAMENTO À GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA  é composto por duas ações, a primeira delas educativa, seguida da assistencial:

 

AÇÃO EDUCATIVA

AÇÃO ASSISTENCIAL

 

OBJETIVOS

• Reduzir as taxas de gestação indesejada na adolescência para que

as meninas tenham chances de viver sua juventude plenamente.

• Reduzir a taxa de evasão escolar.
• Trazer a reflexão sobre a maternidade e suas implicações.
• Diminuir transmissão de ISTs nessa faixa etária.
• Criar rede informal de enfrentamento à violência de gênero.
• Articulação de uma rede de apoio e assistência às necessidades sexuais
e reprodutivas das mulheres atendidas no projeto. 
 

JUSTIFICATIVA

Uma das evidências de desenvolvimento de uma sociedade é representada pela forma como essa sociedade trata suas mulheres.

As legislações que promovem proteção contra a violência doméstica e sexual, aquelas que normatizam o planejamento familiar e sua abrangência, acesso a serviços de saúde, a taxa de gravidez na adolescência e suas políticas públicas preventivas são exemplos de promoção de direitos sexuais e reprodutivos que impactam diretamente nos indicadores sociais relacionados a gênero. 


Dentre todos, a taxa de gestação na adolescência é indicador especial pois afere a eficácia dessas políticas (ou ausência delas) em parcela da população de delicada vulnerabilidade, nossas meninas. 

NO MUNDO

Estima-se que 16 milhões de adolescentes entre 15 e 19 anos se tornam mães a cada ano.

A maioria destas gestações (95%) se concentra nos pontos do globo de maior pobreza.

FONTE: UN Inter Agency Group for Child Mortality Estimation.Levels and Trends in Child Mortality Report 2011. New York: United Nations Children's Fund; 2011.

NO BRASIL

A incidência de grávidas adolescentes é de 18,2% do total de gestantes.

 

Essa incidência não se dá de forma homogênea, quase 18% das adolescentes do extrato mais baixo de renda são mães, enquanto no extrato de renda acima de 5 salários mínimos, essa proporção não chega a 1%.

FONTE: Pinto JL Surita F. Pregnancy in Adolescence: current situation. Rev Bras. Ginecol. Obstet. vol 34. nº8 Janeiro Agosto 2012 

EVASÃO

ESCOLAR

Mães adolescentes têm alta taxa de evasão escolar. 

 

Não há ação no estado que conjugue educação e saúde com foco em contracepção eficaz que promova acesso a métodos contraceptivos seguros.

FONTE: Teenage pregnancy: a challenge for comprehensive health promotion among adolescents. Guanabens M; Gomes A; Mata M; Reis Z. Rev. bras. educ. med. vol.36 no.1 supl.2 Rio de Janeiro Jan./Mar. 2012

NO ESTADO DO

RIO DE JANEIRO

De 222.697 bebês nascidos vivos, 35.180 são filhos de meninas entre 10 e 19 anos (15,8%)

FONTE: SINASC - SVS/SES-RJ atualizado em Julho de 2018.

 

ORIGEM DO PROJETO

Hospital da Mulher e Ciep 135, Dra Ana Teresa Derraik, Nosso Instituto

CIEP 135

Ação desenvolvida de abril de 2016 à dezembro de 2017 no Hospital da Mulher Heloneida Studart.
A direção médica da unidade hospitalar liderada por Ana Teresa Derraik, acolheu em seu auditório, alunas do CIEP 135. A escola estadual, vizinha ao hospital, tinha altas taxas de gestação na adolescência e evasão escolar.

Métodos contraceptivos, Nosso Instituto, Dra Ana Teresa Derraik

TEMÁTICA

O encontro abordava a temática da responsabilidade no exercício da sexualidade. Ao fim do evento, as participantes marcavam consulta ginecológica para inserção de método contraceptivo e no prazo de até duas semanas eram atendidas.

cartão atendimento SUS, Dra Ana Teresa Derraik, Nosso Instituto

RESULTADO

Durante o tempo de duração da ação, as taxas de gravidez na escola foram reduzidas em 81%.